GUSTAVO KUERTEN

Data de nascimento: 10/09/1976
Local de nascimento: Florianópolis, Santa Catarina
Local de residência: Florianópolis, Santa Catarina
Profissional desde 1995
Títulos de Simples: 20 (três Grand Slams/Roland Garros, um Masters e cinco Masters Series)
Títulos de Duplas: 8
Melhor ranking: 1º (dez / 2000 – ficou 43 semanas como 1º do mundo)
Jogador de tênis desde os seis anos de idade
Como juvenil foi vice-campeão do Orange Bowl e chegou a ser o número 3 do mundo em simples e o número 2, em duplas.
Foi também campeão de duplas juvenil, em Roland Garros (c/ Lapentti).
Número de vitórias e derrotas (simples) – 358 / 191
Quadra rápida – 147 / 88
Saibro – 181 / 75
Carpete – 23 / 20
Grama – 7 / 8
Melhores resultados nos Grand Slams
Australian Open – 3ª rodada 2003
Roland Garros – Campeão 1997, 2000 e 2001. Quadrifinalista em 1999 e 2004.
Wimbledon – Quadrifinalista em 1999
US Open – Quadrifinalista em 1999 e 2001
Masters Cup – Campeão 2000 (Lisboa).
Copa Davis – Vitórias/Derrotas – 34/18

SAIBA MAIS

Simples

Total de Finais – 29
Títulos - 20

1997 - Roland Garros (França – Grand Slam) /saibro - Guga d. Sergi Bruguera (ESP) – 6/3 6/4 6/2
1997 – Bolonha (Itália - ATP) / saibro - Felix Mantilla (ESP) d. Guga – 4/6 6/2 6/1
1997 - Masters Series Montreal (Canadá – Masters Series)/ rápida - Chris Woodruff (EUA) d. Guga – 7/5 4/6 6/3
1998 – Stuttgart (Alemanha – ATP) / saibro - Guga d. Karol Kucera (ESL)– 4/6 6/2 6/4
1998 - Mallorca (Espanha – ATP)/ saibro - Guga d. Carlos Moya (ESP) 6/7 (5) 6/2 6/3
1999 - Masters Series Monte Carlo (Mônaco – Masters Series)/ saibro - Guga d. Marcelo Rios (CHI)– 6/4 2/1 des.
1999 - Masters Series Roma (Itália – Masters Series) / saibro - Guga d. Patrick Rafter (AUS) – 6/4 7/5 7/6(6)
2000 – Santiago (Chile – ATP) / saibro Guga d. Mariano Puerta (ARG) – 7/6(6) 6/3
2000 - Masters Series Miami (EUA – Masters Series) / rápida - Pete Sampras (EUA) d. Guga – 6/1 6/7(2) 7/6(5) 7/6(10)
2000 - Masters Series Roma (Itália – Masters Series) / saibro - Magnus Norman (SUE) d. Guga – 6/3 4/6 6/4 6/4
2000 - Masters Series Hamburgo (Alemanha – Masters Series) / saibro - Guga d. Marat Safin (RUS) – 6/4 5/7 6/4 5/7 7/6(3)
2000 - Roland Garros (França – Grand Slam) / saibro - Guga d. Magnus Norman (SUE) – 6/2 6/3 2/6 7/6(6)
2000 – Indianápolis (EUA – ATP) / rápida - Guga d. Marat Safin (RUS) – 3/6 7/6(2) 7/6(2)
2000 – Lisboa (Portugal – Masters Cup) / rápida indoor - Guga d. Andre Agassi (EUA) – 6/4 6/4 6/4
2001 - Buenos Aires (Argentina – ATP) / saibro - Guga d. José Acasuso (ARG) – 6/1 6/3
2001 – Acapulco (México – ATP) / saibro - Guga d. Galo Blanco (ESP) – 6/4 6/2
2001 - Masters Series Monte Carlo (Mônaco – Masters Series) / saibro - Guga d. Hicham Arazi (MAR) – 6/3 6/2 6/4
2001 - Masters Series Roma (Itália – Masters Series)/ saibro - Juan Carlos Ferrero (ESP) d. Guga 3/6 6/1 2/6 6/4 6/2
2001 - Roland Garros (França – Grand Slam) / saibro - Guga d. Alex Corretja (ESP) – 6/7(3) 7/5 6/2 6/0
2001 - Stuttgart (Alemanha – ATP) / saibro - Guga d. Guillermo Cañas (ARG) – 6/3 6/2 6/4
2001 - Cincinnati / rápida (EUA – Masters Series) Guga d. Patrick Rafter (AUS) – 6/1 6/3
2001 - Indianápolis / rápida (EUA – ATP) Patrick Rafter (AUS) d. Guga – 4/2 des.
2002 - Brasil Open / rápida (Brasil – ATP) - Guga d. Guillermo Coria (ARG) 6/7(4) 7/5 7/6(2)
2002 - Lyon / carpete indoor – (França – ATP) Paul Henri Mathieu (FRA) d. Guga 4/6 6/3 6/1
2003 - Auckland / rápida – (Nova Zelândia – ATP) Guga d. Dominik Hrbaty (ESL) 6/3 7/5
2003 - Indian Wells / rápida (EUA - Masters Series) Lleyton Hewitt (AUS) d. Guga 6/1 6/1
2003 - São Petesburgo / carpete indoor (Rússia – ATP) Guga d. Sargis Sargsian (ARM) 6/4 6/3
2004 - Viña del Mar / saibro (Chile – ATP) Fernando Gonzalez (CHI) d. Guga 7/5 6/4
2004 – Brasil Open / saibro (Brasil – ATP) Guga d. Agustin Calleri (ARG) 3/6 6/2 6/3

Duplas

Total de finais - 10
Número de Títulos - 8

1996 – Santiago/saibro (Chile – ATP) – Guga/Fernando Meligeni d. Dinu Pescariu/Albert Portas – 6/4 6/2
1997 – Estoril / saibro (Portugal – ATP) – Guga/ Fernando Meligeni d. Andrea Gaudenzi/Filippo Messori – 6/2 6/2
1997 – Bolonha / saibro (Itália – ATP) – Guga/Fernando Meligeni d. Dave Randall/Jack Waite – 6/2 7/5
1997 – Stuttgart / saibro (Alemanha – ATP) – Guga/Fernando Meligeni d. Donald Johnson/Francisco Montana – 6/4 6/4
1998 – Gstaad / saibro (Suíça – ATP) – Guga/Fernando Meligeni d. Cyril Suk/Daniel Orsanic – 6/4 7/5
1999 – Adelaide / rápida (Austrália – ATP) – Guga/Nicolas Lapentti d. Jim Courier/Patrick Galbraith – 6/4 6/4
2000 – Santiago / saibro (Chile – ATP) – Guga/Antônio Prieto d. Lan Bale/Piet Norval – 6/2 6/4
2001 – Acapulco / saibro (México – ATP) Guga/Donald Johnson d. Martin Garcia/David Adams – 6/3 7/6(5)
2002 – Brasil Open / rápida (Brasil – ATP) – Mark Merklein/Scott Humphries d. Guga/André Sá 6/3 7/6(1)
2002 – Masters Series Paris / carpete indoor (França – Masters Series) – Nicolas Escude/Fabrice Santoro d. Guga/Cedric Pioline 6/3 7/6(6)

1995 – Primeiro ano como profissional
Disputou a primeira final de Challenger, em Medelín, perdendo para o francês Jerome Golmard
Disputou a primeira final de Challenger, nas duplas, ao lado de Marcio Carlsson, em Assunção. Perderam para Donald Johnson e Jack Waite.
Integrou a equipe de treinamentos da Copa Davis

Ranking – 187º

1996

Estreou na Copa Davis, nas duplas, ao lado de Jaime Oncins, ganhando, em Santiago, de Marcelo Rios e Pedro Rebolledo.
Venceu o primeiro Challenger de duplas, com Jaime Oncins, em Punta del Este. Derrotaram Alejandro Hernandez e Simon Touzil, na decisão.
Estreou, com vitória, na simples, na Copa Davis, marcando dois pontos na vitória do Brasil sobre a Venezuela, em Santos.
Disputou, pela primeira vez, a chave principal de um torneio ATP, vencendo em Praga, na estréia, o russo Andrei Chesnokov. Perdeu na rodada seguinte para o espanhol Javier Sanchez.
Passou o qualifying e disputou a chave principal de Roland Garros, pela primeira vez. Perdeu na 1ª rodada para o sul-africano Wayne Ferreira.
Conquistou o seu primeiro título de torneios Challengers, derrotando o espanhol Galo Blanco, na final, em Campinas. Foi campeão de duplas também, ao lado de Fernando Meligeni.
Venceu o seu primeiro ATP, nas duplas, em Santiago. Ao lado de Meligeni, derrotou Dinu Pescariu e Albert Portas.

Ranking – 88º
Vitórias/derrotas – 11/10

1997

Disputou pela primeira vez um Grand Slam, direto na chave principal – Australian Open.
No ATP de Memphis, em fevereiro, venceu Andre Agassi pela primeira vez.
Jogou o primeiro Masters Series da carreira, em Indian Wells, com direito à primeira vitória sobre um top 10 – Wayne Ferreira, na 2ª rodada.
Antes de embarcar para jogar Roland Garros, foi campeão do Challenger de Curitiba, ganhando do romeno Razvan Sabau, na final.
Com o ranking na 66ª posição, entrou para a história ao derrotar três ex-campeões do torneio – Thomas Muster, Yevgeny Kafelnikov e Sergi Bruguera – para conquistar Roland Garros pela primeira vez.
Foi também vice-campeão de simples do ATP de Bolonha e do Masters Series de Montreal. Em Montreal derrotou o então número dois do mundo, Michael Chang na semifinal.
Em seguida foi às quartas-de-final do Masters Series de Cincinnati, vencendo Andre Agassi novamente e perdendo para Chang.
Nas duplas, conquistou os títulos dos ATPs de Estoril, Bolonha e Stuttgart, com Meligeni.

Ranking – 14º
Vitórias/derrotas – 36/25

1998

Conquistou os títulos dos ATPs de Stuttgart e Mallorca, vencendo, respectivamente, Karol Kucera e Carlos Moyá.
Foi também semifinalista do Masters Series de Roma, do ATP de Memphis e quadrifinalista dos Masters Series de Miami, Hamburgo e dos ATPs de Umag e Long Island.
Nas duplas, foi campeão do ATP de Gstaad, com Meligeni.

Ranking – 23º
Vitórias/derrotas – 41/25º

1999

Conquistou o primeiro título de Masters Series da carreira, em Monte Carlo, vencendo Marcelo Rios na final. Logo depois foi campeão do Masters Series de Roma, em que derrotou o australiano Patrick Rafter, na decisão.
Na Itália, venceu pela primeira vez, um tenista número um do mundo, o russo Yevgeny Kafelnikov.
Em algumas das performances mais espetaculares da carreira, venceu Alex Corretja e Carlos Moyá, na Espanha, além de ter vencido o jogo de duplas, para levar o Brasil às quartas-de-final da Copa Davis.
Alcançou as quartas-de-final de três Grand Slams – Roland Garros (perdeu para Andrei Medvedev), Wimbledon (perdeu para Andre Agassi) e US Open (perdeu para Cedric Pioline).
Também foi semifinalista do Masters Series de Indian Wells e quadrifinalista dos Masters Series de Hamburgo, Cincinnati e dos ATPs de Lyon, Indianápolis, Estoril, Dubai e Sydney.
Disputou o Masters pela primeira vez, em Hannover.
Nas duplas, foi campeão do ATP de Adelaide, com Lapentti.

Ranking – 5º
Vitórias/derrotas – 50/25

2000

Foi o ano em que Guga chegou ao posto de número um do mundo e obteve o maior número de vitórias em uma temporada: 63.
Conquistou o bicampeonato de Roland Garros e a Masters Cup.
Foi campeão também do Masters Series de Hamburgo e dos ATPs de Santiago e Indianápolis, o seu primeiro nas quadras rápidas.
Em Sydney, Guga disputou a sua primeira olimpíada, ficando a um jogo da disputa de uma medalha. Perdeu nas quartas-de-final para Kafelnikov.
Na temporada mais regular da sua carreira, foi vice-campeão dos Masters Series de Miami e Roma; semifinalista do Masters Series de Cincinnati e Paris e do ATP de Bogotá. Alcançou também as quartas-de-final dos ATPs de Tóquio, Hong Kong e Lyon.
Em Lisboa, chegou ao topo do ranking mundial, ao conquistar a Masters Cup, vencendo, na sequência Pete Sampras e Andre Agassi. Até hoje é o único tenista da história a ter derrotado, em seguida, no mesmo torneio, Sampras e Agassi.
Depois de liderar a corrida dos campeões durante quase toda a temporada, subiu no lugar mais alto do ranking, se tornando o primeiro jogador da América do Sul a conseguir tal feito e tomando o lugar que Pete Sampras ocupou durante seis anos seguidos.
Levou o Brasil à semifinal da Copa Davis.
O ano teve também um título de duplas, conquistado com Antônio Prieto, no ATP de Santiago.

Ranking – 1º
Vitórias/derrotas – 63/22

2001

Foi o ano em que Guga mais conquistou títulos e entre eles, o tricampeonato de Roland Garros.
Começou a temporada vencendo os ATPs de Buenos Aires e Acapulco. Depois veio o bicampeonato do Masters Series de Monte Carlo e o tri, em Roland Garros, em que Guga precisou salvar match-point, nas oitavas-de-final, contra Michael Russell, para então erguer novamente o troféu de campeão.
As vitórias continuaram com o bicampeonato do ATP de Stuttgart e o título do Masters Series de Cincinnati, em que jogou, numa mesma manhã, a semifinal e a final.
Guga também foi vice-campeão do Masters Series de Roma e do ATP de Indianápolis. Alcançou a semifinal no ATP de Los Angeles e as quartas, no US Open.
Campeão de simples em Acapulco, foi também campeão de duplas no ATP mexicano, ao lado do norte-americano Donald Johnson.
Terminou o ano como o jogador número dois do mundo.

Ranking – 2º
Vitórias/derrotas – 60/18

2002

Jogou o Australian Open e o ATP de Buenos Aires e foi submetido a uma artroscopia no quadril direito, no dia 26 de feveiro, em Nashville, nos EUA (médico Thomas Byrd).
Voltou a competir em 29 de abril, no ATP de Mallorca, alcançando as quartas-de-final.
Conquistou o seu primeiro título no Brasil, o Brasil Open, na Costa do Sauípe, salvando match point contra Guillermo Coria, na final.
Foi vice-campeão do ATP de Lyon, quadrifinalista do Masters Series de Hamburgo e alcançou as oitavas-de-final de Roland Garros e do US Open.
Nas duplas, foi vice-campeão do Masters Series de Paris, ao lado de Pioline e do Brasil Open, com André Sá.

Ranking – 37º
Vitórias/derrotas – 25/14

2003

Começou a temporada com o título do ATP de Auckland e terminou com o do ATP de São Petesburgo.
Foi vice-campeão do Masters Series de Indian Wells, com direito a vitória sobre Roger Federer durante a campanha; semifinalista do Brasil Open e dos ATPs de Buenos Aires e
Acapulco e quadrifinalista dos ATPs de Long Island, Los Angeles e Barcelona.
Alcançou novamente as oitavas-de-final em Roland Garros.

Ranking – 16º
Vitórias/derrotas – 41/21

2004

Conquistou o seu último título, o do Brasil Open, com vitória sobre o argentino Agustin Calleri.
A temporada foi marcada por momentos especiais, como a vitória sobre Roger Federer, então número um do mundo, em Roland Garros e a chegada às quartas-de-final do torneio.
Guga ainda foi vice-campeão do ATP de Viña del Mar, semifinalista do ATP de Auckland e quadrifinalista no ATP de Barcelona.
Jogou as Olimpíadas de Atenas, perdendo na primeira rodada para o chileno Nicolas Massu.
No dia 21 de setembro foi submetido a outra artroscopia no quadril direito, desta vez com o Dr. Marc Philipon, em Pittsburgh (EUA).

Ranking – 40º
Vitórias/derrotas – 23/13

2005

Voltou a competir em abril, no ATP de Valência, alcançando as oitavas-de-final.
Durante a temporada jogou apenas 11 torneios, encerrando a temporada, em setembro, depois de ajudar o Brasil a voltar ao Grupo 1 da Zona Americana, na Copa Davis.

Ranking – 293º
Vitórias/derrotas – 6/10

2006

Jogou apenas o Brasil Open, em fevereiro e o Challenger de Assunção, no Paraguai, em novembro.

Ranking – 1083
Vitórias/derrotas – 0/1

2007

Iniciou a temporada alternando a disputa de torneios Challengers e ATPs, visando a recuperação. Os melhores resultados vieram no Brasil Open e no ATP de Las Vegas, em que conseguiu uma vitória, em cada.
Jogou, no total, oito torneios de simples.
No segundo semestre jogou alguns campeonatos de duplas. Com Carlos Moyá, no Masters Series de Madri, o último torneio que jogou, chegou a ter match point para avançar na competição.

Ranking – 680º
Vitórias/derrotas – 2/7

2008

Realizou uma turnê de despedida do Circuito Mundial, passando pela Bahia, Miami, Florianópolis, Monte Carlo e se despedindo oficialmente do circuito mundial, no dia 25 de maio, na quadra central de Roland Garros.
O Governo de Santa Catarina cria o Troféu Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte que premia, por meio de votação popular, os atletas, clubes e instituições que obtiveram destaque no esporte catarinense.

2009

Foi convidado pelo COB para integrar a Comissão de Atletas Olímpicos com a missão de fortalecer o esporte no Brasil.
Criou, em junho, a Semana Guga Kuerten, reeditando no jogo-exibição com Sergi Bruguera em Florianópolis a final de 1997, na França.
Em dezembro, a Semana Guga Kuerten recebe o Prêmio Tênis como melhor torneio infanto-juvenil brasileiro.

2010

Foi condecorado, em fevereiro, com a Cruz do Mérito Desportivo, maior honraria concedida a um atleta brasileiro, durante cerimônia presidida pelo Ministro dos Esportes, Orlando Silva, em Brasília.
Em março, durante o Rio Champions, Guga eterniza suas mãos na Calçada da Fama do Maracanãzinho.
Em junho recebeu em Paris o troféu Philippe Chatrier, honraria máxima concedida a um tenista pela Federação Internacional de Tênis (ITF).
Em agosto realizou a segunda edição da Semana Guga Kuerten, vencendo o russo Yevgeny Kafelnikov durante o jogo-exibição.
Em outubro, foi homenageado com o Prêmio Nacional da Música, em Canela (RS).
Recebeu, em novembro, o certificado e a medalha de Visitante Honorário de Buenos Aires, concedido pelo governo argentino.
Em novembro, recebeu o Prêmio Konex Mercosul, entregue pela Fundação Konex, durante a solenidade realizada em Buenos Aires.
Em comemoração aos 10 anos da conquista da Masters de Lisboa, quando Guga chegou à liderança do ranking mundial da ATP, Gustavo Kuerten participa com Andre Agassi do Tênis
Espetacular, evento que promoveu no Brasil um jogo-exibição inédito entre os dois campeões no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.
Em dezembro, recebe o título de Cidadão Benemérito do Rio de Janeiro, concedido pelo Governo do Estado.
Recebeu a Ordem do Mérito Militar, honraria criada em 1934 para homenagear civis que tenham se destacado a ponto de se tornar exemplo para o Exército Brasileiro, em dezembro, em Florianópolis.

2011

Em fevereiro, Gustavo Kuerten participou do Brazilian Day, principal evento brasileiro em Nova Iorque;
Gustavo Kuerten também foi homenageado na maior manifestação popular brasileira: o Carnaval. A escola de samba Grande Rio criou um carro alegórico especialmente para Guga, que desfilou no topo, saudando o público do Sambódromo com dezenas de bolinhas de tênis, em fevereiro;
Em agosto, foi criado o projeto olímpico Rio Tênis 2016, uma iniciativa para garantir suporte a uma equipe de tênis infanto-juvenil que está sendo preparada para defender o Brasil nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Guga apoia o projeto criado em parceria com o COB, Ministério dos Esportes e CBT;
Em setembro, Gustavo Kuerten recebeu o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record;
Em outubro, Guga recebeu o Champion for Peace and Sports Awards, premiação concedida pelo príncipe Albert II de Mônaco;
Em dezembro, Gustavo Kuerten participou de um desafio com Alex Corretja, no Rio de Janeiro. A partida celebrou os dez anos de aniversário da terceira vitória de Guga em Roland Garros, em 2001. Guga venceu o jogo-exibição por 2 sets a 1.

2012

No dia 7 de fevereiro nasceu, em Florianópolis, Maria Augusta Soncini Kuerten, primeira filha de Gustavo Kuerten e Mariana Soncini Kuerten;
Em março, foi anunciado o resultado da eleição que confirmou a inclusão de Gustavo Kuerten no International Tennis Hall of Fame & Museum. Durante uma cerimônia realizada na sede do Banco do Brasil, em São Paulo, Mark Stenning, CEO do International Tennis Hall of Fame, e Christopher Clouse, Chairman do International Tennis Hall of Fame & Museum receberam convidados e a imprensa brasileira para o anúncio oficial. A imprensa internacional também participou do evento via teleconferência;
Em maio, Guga foi anunciado como embaixador mundial da Lacoste;
No dia 14 de julho, numa cerimônia na sede do Hall da Fama, em Newport (EUA), Gustavo Kuerten ingressou oficialmente na instituição que eterniza os principais campeões do tênis. Guga é o primeiro tenista masculino brasileiro a entrar para o Hall da Fama do Tênis Internacional;
Em outubro, Gustavo Kuerten participou do jogo exibição contra Nicolas Lapentti, vencendo por 6-2 e 7-6 (5), durante a Semana Guga Kuerten;
Ainda em outubro, Guga recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record;
Em novembro, no dia 17, Guga participou de um desafio com o número 1 do tênis mundial: Novak Djokovic, no Rio de Janeiro. Com o Maracanãzinho lotado, Gustavo Kuerten superou o sérvio por 2 sets a 0, com parciais de 7/6(9) e 7/5.

2013

Em março, Gustavo Kuerten foi submetido a uma cirurgia para implantação de uma prótese no quadril, em Florianópolis;
No dia 7 de junho nasceu, em Florianópolis, Luiz Felipe Soncini Kuerten, segundo filho de Gustavo Kuerten e Mariana Soncini Kuerten;
No dia 30 de julho, a ATP oficializou no Brasil, durante uma coletiva em São Paulo, o nome de Gustavo Kuerten no programa ATP Heritage que celebra as conquistas dos 16 tenistas que concluíram o ano como número 1 no ranking da ATP, em 40 anos de história do ranking;
Em agosto, Gustavo Kuerten participou, em Nova York, da noite de gala do ATP Heritage, no Hotel Waldorf Astoria ao lado dos principais tenistas que eternizaram o nome como número 1 no ranking da ATP;
Recebeu, pelo terceiro ano, o Top of Mind, prêmio concedido pelo Jornal A Notícia e Instituto Mapa, na categoria Personalidade que melhor representa Santa Catarina, em agosto;
No dia 12 de setembro, Guga foi anunciado como embaixador mundial da Hublot;
Em setembro, Guga recebeu, pela terceira vez, o Prêmio Ìmpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record.

2014

Em maio, Guga recebeu, pela quarta vez, o Top of Mind, prêmio concedido pelo Jornal A Notícia e Instituto Mapa, na categoria Personalidade que melhor representa Santa Catarina.

1997 – campeão

Guga d. Dosedel, Slava (CZE) 6-0 7-5 6-1
Guga d. Bjorkman, Jonas (SUE) 6-4 6-2 4-6 7-5
Guga d. Muster, Thomas (AUT) 6-7(3) 6-1 6-3 3-6 6-4
Guga d. Medvedev, Andrei (UCR) 5-7 6-1 6-2 1-6 7-5
Guga d. Kafelnikov, Yevgeny (RUS) 6-2 5-7 2-6 6-0 6-4
Guga d. Dewulf, Filip (BEL) 6-1 3-6 6-1 7-6(4)
Guga d. Bruguera, Sergi (ESP) 6-3 6-4 6-2

2000 – campeão

Guga d. Vinciguerra, Andreas (SUE) 6-0 6-0 6-3
Guga d. Charpentier, Marcelo (ARG) 7-6(5) 6-2 6-2
Guga d. Chang, Michael (EUA) 6-3 6-7(11) 6-1 6-4
Guga d. Lapentti, Nicolas (EQU) 6-3 6-4 7-6(4)
Guga d. Kafelnikov, Yevgeny (RUS) 6-3 3-6 4-6 6-4 6-2
Guga d. Ferrero, Juan Carlos (ESP) 7-5 4-6 2-6 6-4 6-3
Guga d. Norman, Magnus (SUE) 6-2 6-3 2-6 7-6(6)

2001 – campeão

Guga d. Coria, Guillermo (ARG) 6-1 7-5 6-4
Guga d. Calleri, Agustin (ARG) 6-4 6-4 6-4
Guga d. Alami, Karim (MAR) 6-3 6-7(3) 7-6(5) 6-2
Guga d. Russell, Michael (EUA) 3-6 4-6 7-6(3) 6-3 6-1
Guga d. Kafelnikov, Yevgeny (RUS) 6-1 3-6 7-6(3) 6-4
Guga d. Ferrero, Juan Carlos (ESP) 6-4 6-4 6-3
Guga d. Corretja, Alex (ESP) 6-7(3) 7-5 6-2 6-0

2000 – campeão em Lisboa

Guga d. Agassi, Andre (EUA) 6-4 4-6 3-6
Guga d. Norman, Magnus (SUE) 7-5 6-3
Guga d. Kafelnikov, Yevgeny (RUS) 6-3 6-4
Guga d. Sampras, Pete (EUA) 6-7(5) 6-3 6-4
Guga d. Agassi, Andre (EUA) 6-4 6-4 6-4

Yevgeny Kafelnikov (RUS) – Foram 12 confrontos, com sete vitórias de Guga (três delas em Roland Garros).
Marat Safin (RUS) – Foram 7 confrontos, com quatro vitórias de Guga
Andre Agassi (EUA) – Foram 11 confrontos, com sete vitórias de Agassi
Magnus Norman (SUE) - Foram 10 confrontos, com sete vitórias de Guga
Patrick Rafter (AUS ) – Foram 8 confrontos, com quatro vitórias para cada
Carlos Moyá (ESP) – Foram 7 confrontos, com quatro vitórias de Guga
Tim Henman (ING) – Foram 8 confrontos, com cinco vitórias de Henman
Alex Corretja (ESP) – Foram 9 confrontos, com sete vitórias de Guga
Juan Carlos Ferrero (ESP) – Foram 5 confrontos, com três vitórias de Ferrero
Goran Ivanisevic (CRO) – Foram 8 confrontos, com seis vitórias de Guga
Pete Sampras (EUA) – Foram 3 confrontos, com duas vitórias de Sampras
Roger Federer (SUI) – Foram 3 confrontos, com duas vitórias de Guga

Melhor jogador sul-americano da história.

Melhor jogador sul-americano da história;
É o 11º melhor tenista da história em número de semanas (43) como número um do mundo, à frente de nomes como Ilie Nastase, Boris Becker, Mats Wilander, Thomas Muster, entre muitos outros;
Conquistou títulos em 13 países;
Apenas outros cinco tenistas, na Era Aberta, conquistaram o título de Roland Garros três vezes ou mais: Rafael Nadal, Mats Wilander, Ivan Lendl, Bjorn Borg e Gustavo Kuerten;
Em 1998, foi o Presidente das Ações de Caridade da ATP. Durante o período criou o programa “Guga e os Amigos da APAE”, em que doou U$ 200 por jogo que disputou no circuito, de simples e duplas;
Ganhou três vezes o “Prêmio Laranja” na França, em 1998, 2002 e 2004, dado pela imprensa mundial, e a partir de 2004 também pelo público, para o jogador mais simpático do circuito e que melhor atende à imprensa. Em 2008, foi escolhido para receber, da organização do “Prix Orange”, um “Prêmio de Honra” por tudo o que significou para o tênis em mais de uma década como tenista profissional;
Terminou as temporadas de 1999, 2000 e 2001 como o melhor jogador da América do Sul;
No Brasil, foi eleito o melhor atleta do país em 1999, 2000 e 2001;
Foi o primeiro campeão da Corrida dos Campeões da ATP em 2000;
Eleito pela ATP, ITF e pela imprensa mundial, o jogador do ano em 2000;
Em 2000, foi eleito pelos fãs o jogador favorito da ATP;
Em 2000, ao vencer o Masters Series de Hamburgo, completou o Grand Slam do saibro (venceu Roland Garros e os três Masters Series no saibro – Monte Carlo, Roma e Hamburgo). Além dele, apenas Ivan Lendl e Rafael Nadal conseguiram tal feito;
Ao terminar o ano de 2000 como Número Um do Mundo, entrou para a história por ser o primeiro sul-americano a conseguir tal feito;
Fundou o Instituto Guga Kuerten no dia 17 de agosto de 2000, associação filantrópica que atua no trabalho com pessoas com deficiência e tem o esporte como ferramenta para a inclusão social. Trabalho que já beneficiou mais de 32.000 pessoas em Santa Catarina, atuando, até o momento, em 139 municípios catarinenses;
Recebeu, em 2001, o prêmio de juventude e civilização da UNESCO, por seu trabalho fora de quadra;
Foi homenageado pelos CORREIOS com o selo “Brasil, tricampeão de Roland Garros”, em 2001;
O site www.guga.com.br foi escolhido o melhor site de personalidades do país, pelo IBEST, em 2001;
Em 2001, foi homenageado pela escola de samba de Florianópolis, Protegidos da Princesa, com o samba enredo: ”O Manezinho que Encantou o Mundo”;
Em 2004, recebeu a medalha da Cruz do Mérito, em São Paulo, uma das maiores honras que um cidadão brasileiro pode receber;
Recebeu, em 2004, o prêmio da ATP de “Jogador Humanitário” de 2003, por suas ações realizadas fora da quadra. O prêmio intitulado “Arthur Ashe Humanitarian Award” já foi vencido por Nelson Mandela;
Em 2005, participou da campanha da UNICEF/ATP em prol dos direitos das crianças;
Foi homenageado em Roland Garros, em 2007, entregando o troféu ao campeão Rafael Nadal e ao vice Roger Federer;
Em abril de 2008, o Governo do Estado de Santa Catarina assinou decreto instituindo o troféu "Gustavo Kuerten de Excelência no Esporte Olímpico" concedido anualmente ao melhor atleta, atleta revelação, melhor academia de tênis ou escola esportiva, melhor treinador e melhor equipe;
Integra a Comissão de Atletas Olímpicos criada em 2009 pelo Comitê Olímpico Brasileiro;
Em 2009 criou a Semana Guga Kuerten;
Em 2010, foi condecorado, em fevereiro, com a Cruz do Mérito Desportivo, maior honraria concedida a um atleta brasileiro, durante cerimônia presidida pelo Ministro dos Esportes, Orlando Silva, em Brasília;
Em junho de 2010, Guga recebeu, em Paris, o troféu Philippe Chatrier, honraria máxima concedida a um tenista pela Federação Internacional de Tênis (ITF);
Em agosto de 2010, realizou a segunda edição da Semana Guga Kuerten, vencendo o russo Yevgeny Kafelnikov durante o jogo-exibição;
Em dezembro de 2010, em comemoração aos 10 anos da conquista da Masters de Lisboa, quando Guga chegou à liderança do ranking mundial da ATP, Gustavo Kuerten participou com Andre Agassi do Tênis Espetacular, evento que promoveu no Brasil um jogo-exibição inédito entre os dois campeões no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, vencido pelo tricampeão de Roland Garros;
Em fevereiro de 2011, Gustavo Kuerten participou do Brazilian Day, principal evento brasileiro em Nova Iorque;
Gustavo Kuerten foi homenageado na maior manifestação popular brasileira: o Carnaval. A escola de samba Grande Rio criou um carro alegórico especialmente para Guga que desfilou no topo, saudando o público do Sambódromo com dezenas de bolinhas de tênis, em fevereiro de 2011;
Em setembro de 2011, Gustavo Kuerten recebeu o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record;
Em outubro de 2011, Guga recebeu o Champion for Peace and Sports Awards, premiação concedida pelo príncipe Albert II de Mônaco;
Em dezembro de 2011, Gustavo Kuerten participou de um desafio com Alex Corretja, no Rio de Janeiro. A partida celebrou os dez anos de aniversário da terceira vitória de Guga em Roland Garros (em 2001). Guga venceu o jogo-exibição por 2 sets a 1;
No dia 7 de fevereiro de 2012 nasceu em Florianópolis, Maria Augusta Soncini Kuerten, primeira filha de Gustavo Kuerten e Mariana Soncini Kuerten;
Em março de 2012, foi anunciado o resultado da eleição que confirmou a inclusão de Gustavo Kuerten no International Tennis Hall of Fame & Museum. Durante uma cerimônia realizada na sede do Banco do Brasil, em São Paulo, Mark Stenning, CEO do International Tennis Hall of Fame, e Christopher Clouser, Chairman do International Tennis Hall of Fame & Museum receberam convidados e a imprensa brasileira para o anúncio oficial. A imprensa internacional também participou do evento via teleconferência;
Em maio de 2012, Guga foi anunciado embaixador mundial da Lacoste;
No dia 14 de julho de 2012, numa cerimônia na sede do Hall da Fama, em Newport (EUA), Gustavo Kuerten ingressa oficialmente na instituição que eterniza os principais campeões do tênis. Guga é o primeiro tenista masculino brasileiro a entrar para o Hall da Fama do Tênis Internacional;
Em outubro de 2012, Gustavo Kuerten participou do jogo exibição contra Nicolas Lapentti, vencendo por 6-2 e 7-6 (5) o desafio promovido pela Semana Guga Kuerten;
Ainda em outubro de 2012, Guga recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record;
No dia 17 de novembro de 2012, Guga participou de um desafio com o número 1 do tênis mundial: Novak Djokovic, no Rio de Janeiro. Com o Maracanãzinho lotado, Gustavo Kuerten superou o sérvio por 2 sets a 0, com parciais de 7/6(9) e 7/5;
Em março de 2013, Gustavo Kuerten foi submetido a uma cirurgia para implantação de uma prótese no quadril, em Florianópolis.
No dia 7 de junho de 2013, nasceu em Florianópolis, Luiz Felipe Soncini Kuerten, segundo filho de Gustavo Kuerten e Mariana Soncini Kuerten;
No dia 30 de julho de 2013, a ATP oficializou no Brasil, durante uma coletiva em São Paulo, o nome de Gustavo Kuerten no programa ATP Heritage que celebra as conquistas dos 16 tenistas que concluíram o ano como número 1 no ranking da ATP, em 40 anos de história do ranking;
Em agosto de 2013, Gustavo Kuerten participou, em Nova York, da noite de gala do ATP Heritage, no Hotel Waldorf Astoria ao lado dos principais tenistas que eternizaram o nome como número 1 no ranking da ATP;
Guga recebeu em agosto de 2013, pelo terceiro ano, o Top of Mind, prêmio concedido pelo Jornal A Notícia e Instituto Mapa, na categoria Personalidade que melhor representa Santa Catarina;
Guga foi anunciado embaixador mundial da Hublot, em setembro de 2013;
Em setembro de 2013, Guga recebeu, pela terceira vez, o Prêmio Ímpar (Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional) como a Personalidade que melhor representa Santa Catarina, promovido pelo Grupo Ric Record;
Em maio de 2014, Gustavo Kuerten recebeu pela quarta vez o Top of Mind, prêmio concedido pelo Jornal A Notícia e Instituto Mapa, na categoria Personalidade que melhor representa Santa Catarina.


Contatos:

Guga Kuerten Participações
Telefone: 48 – 3331-4600
Avenida Madre Benvenuta, 1168 – sala 101
Centro Executivo Aldo Kuerten
Santa Mônica
Florianópolis - SC
CEP 88035-000

Parceiros:

Parceiros de licenciamento:

Desenvolvido por